As incríveis propriedades do Levedo de cerveja

De Notas pessoais

Edição feita às 15h51min de 20 de fevereiro de 2013 por Einstein (disc | contribs)
(dif) ← Versão anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)





O levedo ou levedura de cerveja é um fermento natural usado na fermentação da cerveja. Porém pode ser consumido na sua forma em pó ou em cápsulas pois é um execelente protetor natural do organismo contra a poluição e radiações além de ser uma ótima fonte de vitaminas, principalmente as do complexo B, e sais minerais. Além disso é também ajuda no sistema imunológico, o stress e a fadiga, e também a auxiliar o fígado na desintoxicação do organismo.

Para que serve o Levedo de Cerveja

Como já foi dito acima, o levedo de cerveja ajuda na resistência e na desintoxicação do organismo, mas ele é muito mais do que isso. Ele ajuda a deixar a pele mais saudável, recompõe a flora intestinal e desintoxina o intestino, auxilia no tratamento de hemorróidas e prisão de ventre, é recomendado nos casos de stress, distúrbios nervosos e diabetes, é um excelente cicatrizante, aumenta as defesas do organismo, é ótimo para problemas de pele como acne, eczemas e furúnculos, indicado para casos de deficiências de vitaminas, anemias, infecções, resfriados e intoxicações.

Como ele é uma ótima fonte de vitaminas do complexo B, ajuda a manter a integridade dos sistemas digestivos e nervoso, auxilia na falta de memória e concentração, irritação, stress, depressão, cansaço físico e mental.

Os nutrientes

A levedura de cerveja contém, além de todas as vitaminas do complexo B (colina, biotina e inositol), vitamina A, sais minerais como cromo, zinco, cálcio, ferro, fósforo e selênio. Também possui proteínas e aminoácidos, complexos de DNA e RNA, carboidratos complexos, fibras dietéticas e ergosterol (precursor de vitamina D).

Complemento para dietas

O levedo de cerveja é um excelente repositor de vitaminas e minerais, e também é usado como complemento para dietas de emagrecimento. Para tanto deve ser consumida junto com sucos, antes das refeições para ajudar a diminuir o apetite, devido ao seu alto valor protéico.

Levedura de cerveja e o diabetes

Pelo seu alto teor de cromo, o levedo de cerveja pode ser consumido por quem possui diabetes, pois ajuda a regular a produção de insulina, graças ao cromo e a vitamina B.

O levedo de cerveja pode ser encontrado em casas de produtos naturais sendo vendido o pó a granel, e pode ser consumido misturada a saladas, sopas, sucos e vitaminas ou então na ração humana. Não é recomendado cozinhar o levedo, já que assim perde grande partes de suas substâncias benéficas.


A levedura de cerveja é um alimento “biodinâmico” ainda mais eficaz que o germe de trigo. Nenhum outro alimento encerra uma combinação tão perfeita, e sob uma forma tão assimilável, de substâncias nutritivas importantes ou raras. Além disso, sob este ponto de vista, a levedura de cerveja “suplementa” os cereais mais eficazmente do que o fazem o leite ou a carne. Com efeito, ela contém: 50% de proteínas muito digestíveis; todos os aminoácidos indispensáveis à vida (histidina, lisina, triptofano, leucina, fenilalanina, cistina, etc.); uma quantidade excepcionalmente elevada de glutatião, peptídeo sulfatado sofrendo uma ação preponderante nos fenômenos vitais e, em particular, nas reações de óxido – redução, nos processos de desintoxicação e de resistência às infecções; lecitina e gordura fosforada; 14 sais minerais essenciais – assim como oligoelementos; fatores catalíticos alguns dos quais ainda não completamente identificados; 17 vitaminas entre as quais o grupo completo – e em forte proporção – das vitaminas B, com exceção da vitamina B12 da qual só se encontram vestígios; quantidades importantes de ergosterol (provitamina D). De modo que depois de ser irradiada, a sua ação antiraquítica é 4 vezes mais intensa do que a do óleo de fígado de bacalhau. Note que a levedura láctica é a única a fornecer a vitamina C.

Algumas comparações:

Segundo M. G. Sonntag, engenheiro químico, 100 g de levedura fornecem:

• tantas proteínas como 250 g de carne e tanto amido (glicogênio) como 65 g de pão;

• 10 vezes mais vitamina B1 do que o pão completo;

• 2 vezes mais vitamina B2 do que o fígado;

• 10 a 20 vezes mais vitamina PP do que a carne;

• 5 a 10 vezes mais ácido pantatênico do que os cereais;

• 20 vezes mais ácido fólico do que o farelo de trigo.

Tomado a cada refeição, misturado a um legume ou a uma sopa, à razão de 1 colher de sobremesa para as crianças e de 1 ou 2 colheres de sopa para os adultos e as pessoas idosas, a levedura constitui um alimento compensador das carências e um excelente catalisador da utilização das substancias hidrocarbonadas.

Ela convém perfeitamente aos desportistas aos quais aumenta a resistência à fadiga, favorecendo o trabalho muscular e facilitando a eliminação de toxinas e de resíduos do catabolismo. Pelo seu teor elevado em proteínas e a natureza dos aminoácidos que a compõem, pela sua contribuição de glutatião, ela desempenha um papel protetor relativamente ao fígado.

Por outro lado, as indicações terapêuticas da levedura estão no prolongamento das suas indicações dietéticas e assenta principalmente na sua riqueza em vitaminas B.

É por estas razões que ela é muito naturalmente indicada nas carências em vitaminas complexas ou simples do grupo B, nas diversas afecções neurológicas e neuromusculares, nas manifestações nervosas do alcoolismo, para suportar e completar a ação terapêutica da vitamina B1 farmacêutica, habitualmente prescrita nestes diferentes casos. Para mais, devido à sua atividade hepatoprotetora, ela é especialmente conveniente nos estados pré-cirróticos e nas esteatoses hepáticas,isto é, nas degenerescências gordurosas do fígado.

Ela é igualmente revelada eficaz nos estados de desnutrição extremos e de constituições magras, assim como nos doentes alimentados por sonda. Enfim, ela tem uma ação benéfica sobre o estado da pele, dos cabelos e certos autores fazem inclusivamente dela um agente de proteção contra o câncer.

No plano da utilização prática, utilize a levedura de cerveja cultivada com cereais maltados e não a levedura de cerveja comum. Esta, no seguimento dos tratamentos de alterações pela soda cáustica, o carbonato de sódio ou o ácido clorídrico, perde cerca de 70% das suas vitaminas. Sem dúvida, e como é muito apetitosa para os animais (os gatos adoram-na), a sua falta de gosto ou, mais exatamente, o seu gosto pouco pronunciado e o aspecto pouco atraente da sua apresentação, não a torna muito agradável para o consumidor. E também, é preferível, como nós já dissemos, tomá-la misturada com um legume ou numa sopa.

Você também pode, na altura, utilizar a levedura viva apresentada em ampolas bebíveis, onde as células de levedura estão em suspensão num meio açucarado. As leveduras, assim administradas, proliferam no intestino exercendo uma função inibidora sobre certo número de germes patogênicos tais como os estafilococos, os estreptococos e os colibacilos. Elas são por consequência indicadas:

– Em todas as afecções intestinais agudas ou crônicas de origem infecciosa;

– Na prevenção de acidentes consecutivos à administração de antibióticos (estando insensíveis a estes remédios, elas ajudam rapidamente ao reequilíbrio da flora intestinal).

Aviso importante: A utilização da levedura, seja sob esta forma, seja sob a forma de

ampolas ou de comprimidos, comporta uma contra-indicação muito importante.

Trata-se da associação com os I.M.A.O. (Inibidores da Mono-Amina Oxidase) administrados no tratamento das depressões e de certas afecções cardiovasculares).

Fonte: http://sosortomolecular.wordpress.com/2010/01/03/levedura-de-cerveja/


Ferramentas pessoais

contador de visitas