Einstein estaria errado? Could Einstein be wrong ?

De Notas pessoais





Light169-408x264.jpg
International scientists make breakthrough discovery as sub-atomic particles are found to be quicker than the speed of light.
Art-353-W-17-Albert-Einstein-200x0.jpg
Albert Einstein ... theory of relativity set speed of light. Photo: AP





• Einstein estaria errado?

NEW YORK: O mundo da física está abismsmado com as novas noticias de que um grupo de físicos europeus tem registraram a velocidade de partículas subatômicas conhecidas como neutrinos e quebraram o limite de velocidade cósmica - a velocidade da luz - que foi criado por Albert Einstein em 1905. Se for verdade, é um resultado que mudaria o mundo. Mas se é enorme.

Mesmo antes dos físicos apresentaram seus resultados em um seminário no CERN, Centro Europeu de Pesquisa Nuclear, perto de Genebra, ontem, um coro de físicos haviam se levantado em blogs e em outros lugares argumentando que era muito cedo para desistir de Einstein e que havia provavelmente algum erro experimental. Reivindicações incrível exigem comprovações incríveis.

"Esses caras têm feito o seu melhor nível, mas antes de jogarmos Einstein na fogueira, gostariamos de ver um experimento independente", disse John Ellis, um teórico do CERN, que tem publicado trabalhos sobre as velocidades das partículas conhecidas como neutrinos fantasmas.

Segundo os cientistas familiarizados com o estudo, os neutrinos percorreram a distância desde o acelerador de partículas do CERN, onde foram criados, até uma caverna debaixo Gran Sasso, na Itália, a uma distância de cerca de 720 km, com cerca de 60 nanossegundos a menos do que seria necessário para um feixe de luz. Isso equivale a uma velocidade maior do que a luz por cerca de 0,0025 por cento.

Mesmo esse pequeno desvio abriria a possibilidade de viagem no tempo e jogaria as nocoes de causa e efeito no caos.

Einstein - cuja teoria da relatividade estabelecia a velocidade da luz como o limite supremo - disse que se você pudesse enviar uma mensagem à uma velocidade rápida que a velocidade da luz, "Você poderia enviar um telegrama para o passado".

Alvaro DeRejula, um teórico do CERN, chamou a alegação "espantosa". "Se é verdade, então nós realmente não entendemos nada a respeito de nada", disse o Dr. DeRejula. "Parece grande demais para ser verdade. A atitude correta agora é perguntar a si mesmo o que deu errado.""

O grupo que está relatando os resultados participa de um projeto conhecido como OPERA, Oscillation Project with Emulsion-Tracking Apparatus..

Antonio Ereditato, o físico da Universidade de Berna, que lidera o grupo, concordou com o Dr. DeRejula e outros que expressaram choque. Ele disse à BBC que o OPERA - depois de muita discussão - tinha decidido liberar seus resultados, a fim de levá-los à exame. "Meu sonho seria que outro experimento, independente encontrasse a mesma coisa," disse o Dr. Ereditato. "Então eu estaria aliviado."

Físicos australianos disseram que o resultado seria revolucionário se for verdade, mas mantiveram-se céticos.

Michael Murphy, da Swinburne University of Technology, disse: "Essa é uma das maiores reivindicações que podem ser feitas, por isso requer uma grande quantidade de exames".

Dr. Murphy disse que os pesquisadores tinham feito a coisa certa abrindo sua análise para outros cientistas para verificação.

Nicole Bell, da Universidade de Melbourne, disse: "Se for verdade, é inovador. Mas vai ter que ser muito convincente." Dr. Bell disse que a descoberta não só desafia teoria atual, mas também não se encaixa com as medições anteriores da velocidade dos neutrinos, com base em outras emitida por uma explosão de uma supernova em 1987.

Neutrinos estão entre os mais estranhos habitantes do mundo quântico subatômico. Uma vez se pensou que eles eram particulas sem massa e que viajavam à velocidade da luz, e que eles poderiam viajar atravessando paredes e planetas como um vento passa através das frestas das portas. Entretanto, eles aparecem em tres variedades e podem se transformar de uma variedade para outra enquanto se movem, e esse é um efeito que o Projeto Opera foi desenhado para detectar.

Dr. Ellis observou que um experimento semelhante foi relatado por um grupo de cientistas conhecido como Minos, em 2007, com neutrinos criados no Fermilab, em Illinois, e transmitido para a Mina de Soudan em Minnesota. Esse grupo descobriu - embora com menos precisão - que as velocidades de neutrinos foram consistentes com a velocidade da luz.

Além disso, as medidas de neutrinos emitidos a partir de uma supernova na Grande Nuvem de Magalhães em 1987 sugeriram que a sua velocidade é diferente da velocidade da luz em menos de uma parte por bilhão.

John Learned, um astrônomo que estuda neutrinos na Universidade do Havaí, disse que, se os resultados forem verdadeiros, isso poderia ser o primeiro indício de que os neutrinos podem tomar um atalhos no espaço, através de outras dimensões.

Joe Lykken, do Fermilab, disse: "a relatividade especial apenas funciona com o espaço plano, por isso, se há uma quinta dimensão distorcida, é possível que aí a velocidade da luz seja diferente".

Mas é muito cedo para especulações tão alucinantes.

Os resultados do OPERA irão gerar ondas de experimentações que visam confirmálos ou repudiá-los. O Dr. Learned disse. "Isso é revolucionário e vai exigir a explicações muito convincentes".

Leia mais em: http://www.smh.com.au/technology/sci-tech/einsteins-theory-in-a-spin-as-neutrinos-pass-speed-of-light-20110923-1kp92.html#ixzz1ZgIIuIdV



• Could Einstein be wrong ?

NEW YORK: The physics world is abuzz with news that a group of European physicists has clocked a burst of subatomic particles known as neutrinos breaking the cosmic speed limit - the speed of light - that was set by Albert Einstein​ in 1905. If true, it is a result that would change the world. But that if is enormous.

Even before the physicists had presented their results at a seminar at CERN, the European Centre for Nuclear Research, near Geneva, yesterday, a chorus of physicists had risen up on blogs and elsewhere arguing that it was way too soon to give up on Einstein and that there was probably some experimental error. Incredible claims require incredible evidence.

These guys have done their level best, but before throwing Einstein on the bonfire, you would like to see an independent experiment, said John Ellis, a CERN theorist who has published work on the speeds of the ghostly particles known as neutrinos. Advertisement: Story continues below This undated file photo shows famed physicist Albert Einstein.

Albert Einstein ... theory of relativity set speed of light. Photo: AP

According to scientists familiar with the paper, the neutrinos raced from a particle accelerator at CERN, where they were created, to a cavern underneath Gran Sasso in Italy, a distance of about 720 kilometres, about 60 nanoseconds faster than it would take a light beam. That amounts to a speed greater than light by about 0.0025 per cent.

Even this small deviation would open up the possibility of time travel and play havoc with notions of cause and effect.

Einstein - whose theory of relativity established the speed of light as the ultimate limit - said that if you could send a message faster than light, You could send a telegram to the past.

Alvaro DeRejula, a theorist at CERN, called the claim flabbergasting. If it is true, then we truly haven't understood anything about anything, Dr DeRejula said.It looks too big to be true. The correct attitude is to ask oneself what went wrong.

The group that is reporting the results is known as OPERA, for Oscillation Project with Emulsion-Tracking Apparatus.

Antonio Ereditato, the physicist at the University of Bern who heads the group, agreed with Dr DeRejula and others who expressed shock. He told the BBC that OPERA - after much discussion - had decided to release its results in order to get them scrutinised. My dream would be that another, independent experiment finds the same thing, Dr Ereditato said. Then I would be relieved.

Australian physicists said that the result would be revolutionary if true, but remained sceptical.

Michael Murphy, of Swinburne University of Technology, said: This is one of the biggest claims you can make, so it requires a lot of scrutiny.

Dr Murphy said the researchers had done the right thing in opening up their analysis for other scientists to check.

Nicole Bell​, of the University of Melbourne​, said: If it is true, it is ground breaking. But it will take a lot of convincing. Dr Bell said the find not only challenged current theory, it also did not fit with previous measurements of the speed of neutrinos, based on ones emitted from a supernova explosion in 1987.

Neutrinos are among the strangest denizens of the quantum subatomic world. Once thought to be massless and to travel at the speed of light, they can sail through walls and planets like wind through a screen door. Morever, they come in three varieties and can morph from one form to another as they move, an effect that the OPERA experiment was designed to detect.

Dr Ellis noted that a similar experiment was reported by a collaboration known as Minos in 2007 on neutrinos created at Fermilab, in Illinois, and beamed to the Soudan Mine in Minnesota. That group found - although with less precision - that the neutrino speeds were consistent with the speed of light.

Moreover, measurements of neutrinos emitted from a supernova in the Large Magellanic Cloud in 1987 suggested that their speeds differed from light by less than one part in a billion.

John Learned, a neutrino astronomer at the University of Hawaii, said that if the results turned out to be true, it could be the first hint that neutrinos can take a shortcut through space, through extra dimensions.

Joe Lykken, of Fermilab, said: Special relativity only holds in flat space, so if there is a warped fifth dimension, it is possible that on other slices of it the speed of light is different.

But it is far too soon for such mind-bending speculation.

The OPERA results will generate a rush of experiments aimed at confirming or repudiating them, Dr Learned said. This is revolutionary and will require convincing replication, he said.

Read more: http://www.smh.com.au/technology/sci-tech/einsteins-theory-in-a-spin-as-neutrinos-pass-speed-of-light-20110923-1kp92.html#ixzz1ZgIIuIdV


Ferramentas pessoais

contador de visitas